Postagem em destaque

ORDENAÇÃO PRESBITERAL

No dia 08 de Dezembro de 2017, Solenidade da Imaculada Conceição de Nossa Senhora, na comunidade Igreja Matriz Sagrada Família, Mococa – SP...

Follow by Email

Inicio » » Considerações finais sobre Lc 10,25-37

Considerações finais sobre Lc 10,25-37

3 de maio de 2015

Ao chegar ao final desta reflexão, que foi publicado como uma série de artigos, pudemos perceber a misericórdia de Deus presente em toda a obra Lucana, especialmente relatada na parábola do Bom Samaritano (Lc 10,25-37).
Começamos a ver desde o início dos artigos a unidade entre os dois textos elaborados por Lucas (Evangelho e Atos dos Apóstolos). Vimos que o evangelista Lucas é historiador e pesquisador, porém que não faz história ao modo atual, mas faz historiografia sagrada, pois sua intenção é teológica, ou seja, evangelizar as comunidades cristãs espalhadas pelo Império Romano, comunidades cujos membros são na sua grande maioria gentios disponíveis a acolher a Boa Nova de Jesus Cristo.
Seguindo a lógica do evangelista, chegamos a tratar diretamente sobre os ensinamentos do Jesus misericordioso. Para isto ilustramos com algumas perícopes encontradas no Evangelho de Lucas onde se nota o agir de Jesus a favor dos mais necessitados, ensinando aos discípulos e fariseus como devem praticar a misericórdia, principalmente com os excluídos pela Lei judaica, por exemplo, o caso da viúva de Naim, a mulher pecadora e outras.
Jesus revela a misericórdia de Deus através de vários acontecimentos, ensinamentos, atos e gestos na vida quotidiana e no caminho para Jerusalém. Pudemos perceber que, no Evangelho de Lucas, o rosto que apresenta a misericórdia de Deus é uma pessoa concreta, é Jesus de Nazaré. Ele veio para cumprir o desígnio definitivo do Pai amoroso e misericordioso de salvar a todos e não apenas o povo de Israel.
Vimos que, com essas práticas e gestos demonstrados durante o caminho para Jerusalém, Jesus estava chegando a um ponto central para ensinar quem é o próximo, e este foi o objeto de estudo da nossa pesquisa e reflexão da última parte. Mostramos que, para ser discípulo de Jesus, o seguidor deve ser igual a Ele, ou seja, praticar a misericórdia com o mais necessitado, misericórdia revelada no amor ao próximo. Ao estudar a perícope de Lc 10,25-37 pudemos enxergar mais de perto a teologia da misericórdia divina presente em Lucas.
Ora, para aproximar mais ainda da teologia Lucana, o nosso texto se concentrou na perícope do Bom Samaritano de Lc 10,25-37, que foi o ápice da nossa reflexão. Vimos que o samaritano sentiu compaixão ao ver o homem que caiu na desgraça, foi interpelado e aceitou a improvisação da viagem, pois agiu com o coração. Tudo isso Lucas nos mostrou através da parábola estudada, ou seja, a misericórdia. Por trás do texto o evangelista nos mostrou sutilmente que o samaritano era o próprio Jesus.
Agradeço muito àquelas pessoas que me incentivaram para produzir estas reflexões. E, para encerrar, diria que ser cristão não é muito fácil. Por isso, o Papa Francisco não se cansa de dizer-nos: “Nosotros, los cristianos, estamos llamados a salir de nuestros muros para llevar a todos la misericordia y la ternura de Dios” (tradução literal: nós, os cristãos, estamos chamados a sair de nossos muros para levar a todos a misericórdia e a ternura de Deus).
Assumo toda crítica que possa construir meu conhecimento, eis o meu e-mail: casicavevi@yahoo.com
Por:








Leia também os artigos anteriores da série “O Jesus misericordioso em Lucas”:

Segue abaixo as Referencias Bibliográficas usadas durante a reflexão:
- AGUIRRE MONASTERIO, Rafael; CARMONA, Antônio Rodríguez. Evangelhos Sinóticos e Atos dos Apóstolos. 4.ed. São Paulo: Ave Maria, 2006.
- BÍBLIA JERUSALÉM. São Paulo: Paulus, 2004.
- BÍBLIA SAGRADA. Tradução da CNBB. São Paulo: Editora Canção Nova, 2012.
- BIBLE WORKS.79 Bíblias em 20 idiomas. Westford: Lotus DevelopmentCorp., 1998.CD (versão 4.0).
- BOVON, François. El Evangelio según Lucas II (Lc 9,51—14,35). Salamanca: Sigueme, 2002.
- BROWN, Colin. O novo dicionário internacional de teologia do novo testamento. São Paulo: Edições Vida Nova, 1989.
- CARMO, Solange Maria do. Jesus, Boa-nova universal de Deus: estudo bíblico-catequético a partir de At 10,1-11,18. 1.ed. Goiânia: Scala, 2014. v.1.
-______. Jesus, Boa-nova universal de Deus: estudo bíblico-catequético a partir de At 10,1-11,18. 1.ed. Goiânia: Scala, 2014. v.2.
- CASALEGNO, Alberto. Lucas. A caminho com Jesus Missionário: introdução ao terceiro evangelho e à sua teologia. São Paulo: Loyola, 2003.
- FABRIS, Rinaldo; MAGGIONI, Bruno. Os Evangelhos. São Paulo: Loyola. 1992. v.2.
- FERREIRA, Aurélio B. de Hollanda. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. 5.ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2004.
- FITZMYER, Joseph A. El evangelio según Lucas: traducción y comentario - cap. 8,  22 –8,14.Madrid: Cristiandad, 1987. v.3.
- JOÃO PAULO II. Reconciliatio et Paenitentia: Exortação apostólica pós-sinodal ao episcopado, ao clero e aos fiéis sobre a reconciliação e a penitência na missão da Igreja hoje.7. ed. São Paulo: Paulinas, 2009.
- LANCELLOTTI, Ângelo; BOCCALLI, Giovanni. Comentário ao evangelho de São Lucas. Petrópolis: Vozes, 1979.
- L’EPLATTENIER, Charles. Leitura do Evangelho de Lucas. São Paulo: Paulinas, 1993. (Pequeno comentário bíblico).
- MOSCONI, Luis. Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas. Para cristãos e cristãs do novo milênio. 8.ed. São Paulo: Loyola, 2007.
- MURAD, Afonso. Quem é essa mulher?: Maria na Bíblia. São Paulo: Paulinas, 1996.
- PIKAZA, Javier. A teologia de Lucas. 2.ed. São Paulo: Paulinas, 1985.
- RUSCONI, Carlo. Dicionário do grego do novo testamento. São Paulo: Paulus, 2003.
- SICRE, José Luis. O quadrante: Introdução aos Evangelhos. Tradução Pedro Lima Vasconcellos. São Paulo: Paulinas, 1999. v. 1.
- SILVA, Cássio Murilo Dias da. Metodologia da exegese bíblica. São Paulo: Paulinas, 2000. (Bíblia e História).
- STÖGER, Alois. O Evangelho Segundo Lucas: 1ª parte. Petrópolis: Vozes, 1973. v. 3.
Anterior Proxima Página inicial