Postagem em destaque

Ação evangelizadora no Brasil

No Brasil, a Igreja agora se orienta para novas frentes de implementação do anúncio querigmático do Evangelho. A Conferência Nacional dos...

Follow by Email

Inicio » » O ESPIRITO PROFÉTICO NA ESPIRITUALIDADE ZACCARIANA

O ESPIRITO PROFÉTICO NA ESPIRITUALIDADE ZACCARIANA

28 de julho de 2015



SAMZ tinha consciência de que Deus sempre está atento com o seu povo e que, por isso, envia os seus profetas para um benefício sem fim (cf. 20105). Por outro lado, é bom destacar que na ação profética existe grande esperança e salvação, que a tornam um convite à conversão, enquanto convidam a olhar para frente e para o crescimento do povo.
O espírito profético está muito presente na espiritualidade zaccariana porque, a partir do Santo Fundador, surgiram homens e mulheres valentes respondendo à vocação profética recebida no dia do batismo: “Jesus Cristo é Aquele que o Pai ungiu com o Espírito Santo e constituiu “sacerdote, profeta e rei”. “Todo o povo de Deus participa destas três funções de Cristo, com as responsabilidades de missão e de serviço que delas resultam” (CIC§ 783), por conseguinte, a vocação proféticanos impele a sermos pessoas espirituais que vigiam sua conduta e controlam a sua língua para o bem e para serem cristãos que sabem orientar a própria vida, e a dos outros, correta e disciplinadamente (cf. 20213).
Especificamente, o que é um profeta? A palavra tem sua origem no hebraico: nabim, que significa “o que fala em lugar de...”, de fato, os profetas são os que falam em lugar de Deus. Em geral, se tem a ideia de que o profeta é um adivinho, um futurólogo ou um visionário, mas, o nabi é mais de que isso, o profeta é uma pessoa escolhida e chamada por Deus de forma especial para uma missão concreta. Além disso, os profetas são pessoas inspiradas pelo Espirito, que, por experiência pessoal, foram amadurecendo no caminho divino.
Para Santo Antônio a intenção de Deusao enviar os seus profetas era muito clara e não deixavadúvidas de que o plano divino sempre queria o bem do homem. Por isso, o Santo da Reforma afirma: “Caríssimo, saiba que Deus tem um comportamento contrário ao do homem. Deus, em primeiro lugar, traz graça e luz para a sua alma e, depois, a introduz no corpo;* primeiro, introduz a sua luz nos Anjos e, depois, nos profetas, pelo ministério dos anjos,* em seguida, no povo, no povão, por meio dos profetas; você sabia que na Bíblia, os profetas e os sacerdotes são chamados de anjos? (Ml 2,7). Com isso, quero dizer que Deus começa do alto e, depois, desce; já o homem, querendo subir, começa de baixo pra cima; isto é, o homem deixa o que é só exterior e entra no seu íntimo e, daí vai até o conhecimento de Deus” (20215).
Embora, dependendo da situação e do contexto, o profeta dirija a sua mensagem com a finalidade de salvar a nação da sua idolatria e maldade, ela não deixa de ser um discernimento que visa melhorar a vida do povo.
Como homem adiantado em relação ao seu tempo SAMZ viveu a vocação profética no cotidiano e vendo, sobretudo, a necessidade dos irmãos. De fato pode ser pesada a missão como expressa o Santo Reformador ao citar Jeremias 1, 6 “... Ah! Senhor Javé, eu não sei falar, porque sou jovem” (20401).
Contudo qual é a missão do profeta? Sobretudo é aquela de ser a voz viva no meio do povo, para lembrar a promessa divina, orientar e corrigir. Em síntese: anunciar e denunciar.
O espirito profético pede a análise do nosso tempo para ver a necessidade da justiça social, enquanto denuncia a desigualdade, o comodismo e a corrupção das autoridades, sem medo e com muita valentia.
Ao médico Antônio Maria não bastou curar o corpo. Movido por uma mais profunda intuição, se tronou médico das almas, orientando-as no caminho certo. Grande foi a sua preocupação pelas almas porque não queria ver ninguém na confusão, na perversidade e praticando a maldade (20510).
                                                                   

AUTOR:









BIBLIOGRAFÍA
- Escritos de Santo Antônio Maria Zaccaria, Belo Horizonte, 2010.


Anterior Proxima Página inicial