Postagem em destaque

ORDENAÇÃO PRESBITERAL

No dia 08 de Dezembro de 2017, Solenidade da Imaculada Conceição de Nossa Senhora, na comunidade Igreja Matriz Sagrada Família, Mococa – SP...

Follow by Email

Inicio » » Jesus na origem da Cristologia: do Jesus pré-pascal ao Cristo pascal

Jesus na origem da Cristologia: do Jesus pré-pascal ao Cristo pascal

11 de novembro de 2014

A experiência Pascal de Cristo é o principio hermenêutico de toda a cristologia. Tudo parte dessa vivência de fé dos discípulos que nos transmitiram com grande valentia e gozo o evento Cristo como centro de toda a história da humanidade.
É provável, como vemos nos evangelhos, que os discípulos não compreenderam rapidamente a pessoa e obra do Mestre. Alguns conheciam as escrituras, porem continuavam com dúvidas, J. Dupuis refere-se a esta situação afirmando: “Contam-nos os Atos que eles, até depois da ressurreição, aguardavam um reino político, com a restauração, por Jesus (At 1; 16)” (p.56).
Constate-se que antes da Páscoa os discípulos tinham fé, mas ela não estava amadurecida. Por isso, eles seguiram deixando tudo com esperança em Jesus. Como se pode ver essa experiência pré-pascal é muito importante porque demonstra que acreditavam num sentido bíblico-teológico em Jesus. Em linhas gerais houve uma transformação real na forma de acreditar dos seguidores e tudo indica que o processo não foi em vão.
A missão de Jesus
O centro da pregação de Jesus era o Reino de Deus, na verdade até agora para muitos cristãos é difícil saber o seu significado. J. Dupuis interpreta o tema central do kerigma dizendo: “O Reino é símbolo do novo ‘domínio’ que Deus vai instaurar no mundo, ao renovar todas as coisas e restabelecer todas as relações de Deus com os homens e dos homens entre si” (p. 60). Deus mesmo se comunica e começa a agir no universo de forma efetiva e trazendo uma nova ordem através de Jesus. Aqui, o domínio de Deus sobre os homens é num sentido de orientar completamente as relações humanas expressas em: fraternidade, justiça, direito, paz, etc.
Em suma, os pobres ocupam um lugar prioritário na missão de Jesus, “são os economicamente deserdados, entre os quais se incluem as classes desprezadas, oprimidas e marginalizadas. Numa palavra, todos os que são vítimas de estruturas injustas, sofrem condições desumanas” (p.63). Em síntese, devemos aprender os valores, como a confiança e esperança que os pobres colocam em Deus.
Por:
Contato: cristosj@hotmail.com







Referência Bibliográfica:
DUPUIS Jacques, Introdução a cristologia. São Paulo: Loyola, 1999, p. 55-75.
Anterior Proxima Página inicial