Inicio » » Solenidade de todos os Santos: O projeto de Jesus e a felicidade em São Mateus 5,1-10

Solenidade de todos os Santos: O projeto de Jesus e a felicidade em São Mateus 5,1-10

3 de novembro de 2013

O evangelho pretende iluminar nossa vivência desde o projeto único de Jesus quando anunciou o Reino e a humanização do ser humano, desde a restauração de sua dignidade.
Em Mateus 5,1 diz: δν δ τος χλους νέβη ες τ ρος· κα καθίσαντος ατο προσλθαν ατ ο μαθητα ατο (Naquele tempo, ao ver as multidões, Jesus subiu a um monte. Depois de se ter sentado, os discípulos aproximaram-se dele). O início do texto nos situa parcialmente em um monte. Desde esse lugar, Jesus começa sua pregação com o primeiro discurso evangélico chamado O Sermão da Montanha, ao que Mateus considera como um ensinamento essencial. O “monte” ou “montanha” encerra uma grande simbologia, pois representa o lugar de encontro com a presença de Deus, desde onde Jesus “fala”. Este marco geográfico pode ver-se como uma analogia da manifestação de YHWH (em hebraico יהוה) no monte Sinai. Por conseguinte, Mateus localiza a proclamação das bem-aventuranças na montanha como uma atualização do acontecimento de entrega dos mandamentos ao povo de Israel e, igualmente, como renovação da aliança.
Em Mt 5,2 diz: Κα νοίξας τ στόμα ατο δίδασκεν ατος λέγων,  (Então abriu a palavra e começou a ensiná-los). Hebraismo indicando a importância do que vai se dizer.
Desde Mt 5,3 encontramos a palabra μακάριοι que provem de μακάριος [bem-aventurado, feliz]. Na Bíblia grega dos LXX, a expressão μακάριοι (bem-aventurados) é utilizada no contexto sapiencial, que é um elogio pronunciado pelo sábio. Por outro lado, o recurso especial no NT é o uso deste término para a alegria diferente que vem por meio da participação no reino divino. A verdadeira felicidades não é para os ricos e seguros, mas sim para os pobres e oprimidos que somente são ricos em compaixão, pureza e paz.
As bem-aventuranças iniciam o cumprimento das promessas da Escritura, a renovação da aliança com YHWH (em hebraico יהוה) Jesus leva à plenitude o cumprimento da lei e a renova para ser vivida como uma lei que conduz à felicidade, à verdadeira irmandade, para a promoção da dignidade humana, ao trabalho pela justiça e a fazer possível o Reino de Deus entre os seres humanos; Jesus anuncia um discurso através do qual pretende ensinar para a gente e a seus discípulos como ser feliz na vida.
Por fim, χαίρετε  κα  γαλλισθετι    μισθς  μν  πολς  ν  τος  ορανος·  οτως  γρ  δίωξαν  τος προφήτας τος πρ μν (Exultai e alegrai-vos, porque grande será a vossa recompensa no Céu; pois também assim perseguiram os profetas que vos precederam (Mt 5,12)). Sem dúvidas, o seguimento de Jesus nos leva a assumir as tensões cotidianas e, às vezes, nos conduz a remar contra a corrente, mas caminhamos com esperança nas promessas de Jesus, nossa verdadeira felicidade.
Por:
Anterior Proxima Página inicial