Postagem em destaque

ORDENAÇÃO PRESBITERAL

No dia 08 de Dezembro de 2017, Solenidade da Imaculada Conceição de Nossa Senhora, na comunidade Igreja Matriz Sagrada Família, Mococa – SP...

Follow by Email

Inicio » » Breve história do culto a Nossa Senhora Mãe da Divina Providência

Breve história do culto a Nossa Senhora Mãe da Divina Providência

10 de fevereiro de 2017

Breve história do culto a Nossa Senhora Mãe da Divina Providência

O quadro de Nossa Senhora Mãe da Divina Providência, venerado na Igreja de São Carlos ai Catinari em Roma, é uma tela de Scipione Puizone de Gaeta (1550-1597), pintor da escola de Rafael, considerado como o Van Dyck italiano.


Essa pintura, medindo 54cm por 42, foi colocada no altar do Oratório situado no primeiro andar da casa, onde os religiosos se reúniam habitualmente para orar. A obra foi doada aos Barnabitas em 1677, em reparação à quebra de um afresco, ocorrida durante os trabalhos de recuperação do mesmo.
Foi o barnabita, Padre Pietro Maffetti, pároco de São Carlos, que em 1732, colocou o quadro num pequeno corredor que servia de passagem aos religiosos que do convento se dirigia à igreja. Sob o quadro, Pe.  Maffetti mandou escrever: “Mater Divinae Providentiae”. Não Sabemos o porquê da escolha desse título. Provavelmente os filhos de SAMZ, os Padres Barnabitas e as Irmãs Angélicas, já invocavam a virgem com este titulo. Historicamente desde 1613 os Barnabitas tinham decidido de colocar na torre dos sinos da Igreja de São Paulo, em Bolonha, uma estatua da Virgem com o titulo de “Virgrem Bem-aventuada da Divina Providencia”. As Irmãs Angélicas, nesta mesma época, veneravam em Milão, uma imagem da Virgem com o Menino, intitulada Mãe da Divina Providência. Não se sabe qual tenha sido o motivo da escolha, fato é, que tanto o quadro quanto o titulo foram apreciados pelo povo.
Em pouco tempo o corredor ficou pequeno devido ao grande numero de fieis que acorriam para venerar a Bem-aventurada Virgem.
O Superior Geral dos Branabitas, Pe. Mário Maccabei mandou transformar o local em uma capela, inaugurada em 28 de junho de 1742.
            O grupo de fieis foi aumentando e se transformou em Confraria, aprovada pelo papa Bento XIV em 25 de setembro de 1744.  Mais tarde o Papa Gregório XVI a elevou à Arquiconfraria, no dia 16 de julho de 1839.
Muitos papas, reis e príncipes se inscreveram na Arquiconfraria. Mas quem se distinguiu pelo zelo e devoção foi o papa Pio IX, que frequentava a Igreja de São Carlos. Em 1888 por um decreto do Capítulo do Vaticano, a imagem foi coroada.
Desde 5 de agosto de 1896, por disposição do Padre Geral Benedetto Nisser, todos os religiosos Barnabitas devem ter no próprio quarto o quadro da Mãe da Divina Providência.

Citações bíblicas para meditar sobre a Virgem Maria
1.    Mateus 1-2: Maria na narrativa do Natal
2.    Lucas 1, 26-36: Maria e a concepção de Jesus
3.    João 2, 1-11: As Bodas de Caná
4.    Gálatas 4,4: Nascido de uma mulher

Por:













*Religioso barnabita e estudante de Teologia na Pontifícia Universidade Católica do Chile


Anterior Proxima Página inicial