Postagem em destaque

ORDENAÇÃO PRESBITERAL

No dia 08 de Dezembro de 2017, Solenidade da Imaculada Conceição de Nossa Senhora, na comunidade Igreja Matriz Sagrada Família, Mococa – SP...

Follow by Email

Inicio » » Santo Antônio Maria Zaccaria e o social

Santo Antônio Maria Zaccaria e o social

22 de maio de 2014

Nem só de espiritualidade vive o homem, mas a Espiritualidade deve estar presente em todas as atividades humanas, motivando e dando sentido a tudo o que fazemos. É como a água que rega as plantas. Se elas estão verdes e bonitas, é sinal que estão bem fornecidas de água!
Alguns anos atrás, a dimensão social da Igreja estava forte, mas, de algum tempo pra cá, houve uma queda vertiginosa no compromisso social dos católicos! Influência dos movimentos pentecostais? Pode ser. Afinal, refugiar-se no aconchego do louvor traz alívio para as nossas dores, mas, e depois? E os compromissos com o amor fraterno? Não é à toa que a Arquidiocese do Rio de Janeiro está promovendo o ano da caridade para despertar nos católicos a necessidade de ter olhos para os aspectos sociais da prática cristã.
Santo Antônio Maria Zaccaria teve preocupações sociais e deu exemplo concreto de vivência dessa dimensão essencial da vida cristã, pois “todas as vezes que vocês fizeram isso a um dos menores de meus irmãos, foi a mim que o fizeram.” (Mt 25,40). Dessa forma, o nosso santo foi um humanista fervoroso, não separando o homem de Deus, o que pode ser constatado ao lermos os seus Escritos; suas palavras deixam transparecer profunda sintonia com o Cristo Crucificado, ao mesmo tempo que coloca a pessoa humana como ponto de partida, como sujeito responsável pela condução da vida. Mais concretamente, alguns exemplos da vida de Santo Antônio Maria Zaccaria no campo social:
- Ainda adolescente, não teve dúvidas em dar a um pobre o seu manto numa noite gelada de Cremona;
- Como médico, assistiu a população pobre de sua cidade natal, Cremona, devastada pelas doenças epidêmicas da época, como a peste;
- Como catequista, abriu sua casa para os mais necessitados, sem deixar de cuidar das pessoas de outras classes;
- Enfrentou os invasores espanhóis que sitiavam Cremona, que acabaram desistindo da invasão, diante de tamanha força moral daquele jovem; por isso, ele mereceu a homenagem de seus concidadãos com o título de “pai da pátria”;
- Defendeu com coragem seu pai espiritual, Frei Batista de Crema, contra as acusações de heresia;
- Lavrou muitos atos notariais em questões de heranças e, principalmente, nas disputas por terras, para que se fizesse justiça.
Animados pelo exemplo do nosso santo, recuperemos a dimensão social dos nossos compromissos pastorais, que vão muito além das atividades corriqueiras dos nossos grupos e movimentos. Pensemos nisso, afinal, nós evangelizamos pessoas de carne e osso, muito longe de serem anjos!
Por:
Anterior Proxima Página inicial